Olhares do Quotidiano – Nilson Santos e Elisabete Christofoletti

foto de Nilson Santos

Athenas – Grécia – foto de Nilson Santos

foto de Elisabete Christofoletti
Oaxaca – México – foto de Elisabete Christofoletti

 

roma - jameiro 2005 -  mercado de trajano - forum romano - 02Roma – Itália – foto de Nilson Santos

veneza - janeiro 2005 - 25

Veneza – Itália – Foto de Nilson Santos

 

veneza - jameiro 2005 - 13

Veneza – Itália – foto de Nilson Santos

 

toscana - janeiro 2005 - 02

Toscana – Itália – foto de Nilson Santos

italia - roma - janeiro 2005 - 50 - cidade do vaticano

Roma – Itália – foto de Nilson Santos e Elisabete Christofoletti

oaxaca-25

 

Oaxaca – México – Foto de Elisabete Christofoletti

oaxaca-27

Oaxaca – México – foto de Elisabete Christofoletti

ScannedImage-2

Oaxaca – México – foto de Elisabete Christofoletti

 

 

Anúncios

Um pensamento sobre “Olhares do Quotidiano – Nilson Santos e Elisabete Christofoletti

  1. O acervo acima demonstra uma sequência de imagens selecionadas que tratam basicamente da mesma coisa, passagens, de diversas formas: escadas, portais, abóbadas; ora é uma janela, ora uma porta, ora um corredor de um edifício, ora um corredor de uma viela, ora algumas subentendidas, como a imagem do homem de lado no meio de uma escadaria de Athenas; ora entre duas paredes; embora também tenha uma que reflete um espaço aberto, em Veneza, a cidade da liberdade! Esta imagem lembra muito a Amazônia devastada após uma queimada. Uma selva de árvores sem as copas. Contrastando com a seiva láctea da outra árvore maior do blog que jorra seu precioso líquido para um copo, matéria prima de transformação em mil e uma coisas modernas. O homem veio ao mundo por uma passagem e voltará as suas origens por outra. O mundo é cheio de passagens do nascimento a morte. É claro que tudo não faria sentido, se “in media via erat lapis”, como traduziu para o latim Sílvio Bélkior o verso de Carlos Drummond de Andrade. Erat lapis: Um letreiro luminoso convidando para uma outra passagem subentendida, onde o passante pode entrar e encontrar alegria 24 hs; ou Erat lapis numa janela onde uma figura cadavérica parece observar tudo, como alguém que se fantasia para o carnaval e assiste tudo animadamente da sacada; ou, ainda, erat lapis, onde de um estojo musical se levanta com uma corneta na boca uma caveira como que indignada por estar no lugar errado, pois o seu lugar é numa festa. Assim, fiz a leitura das fotos acima, não apenas descrevendo-as, após a concessão de passarem por mim, como uma lapis in media via, mas, talvez, como lapisphilosophorum.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s